2016Ubuntu smUbuntu é uma filosofia africana cujo significado se refere à humanidade com os que estão à sua volta.
Ubuntu quer dizer solidariedade, generosidade, compaixão com os necessitados, o desejo sincero de felicidade e harmonia entre os homens.
Interessante este conceito ter sido “importado” daquelas aldeias africanas rústicas, pobres em tecnologia e fachada social, mas que praticam verdadeiramente a qualidade maior, íntima, presente na essência do ser humano e a forma de como se relacionar com a sociedade, com os outros, seus iguais e afins.
Para os africanos, Ubuntu é a capacidade humana de compreender, aceitar e tratar bem o outro, algo do tipo que se verbaliza tanto por aqui e que pouco se pratica, o amor ao próximo.
O respeito ao próximo, tanto aos que têm opiniões afins com as suas quanto aos que divergem frontalmente.
Assim, o que mais precisamos no dia de hoje e, nos difíceis dias que estão por vir, é uma coisa muito simples, antiga, que se pratica e se “exporta” há muito tempo do continente africano: Ubuntu.
Difícil dar as mãos, um aos outros, sem restrições. Aliás, está muito difícil ouvir apenas o outro nessa guerra alimentada por interesses nada nobres.
As verdades ferrenhas de cada um, hoje, confrontam os amigos x inimigos. Não existe meio termo, não existe debate, não existe tolerância. A verdade é que depois de hoje, o dia vai amanhecer com todos ainda habitando o mesmo país, precisando ainda sair para buscar o seu sustento pela manhã. Em uma cidade, estado, nação que pode ter uma nova realidade de comando político.
Ubuntu é um conceito muito amplo que vai da essência do ser humano e envolve a forma como ele se comporta em sociedade.
Um conceito capaz de inspirar até sistemas operacionais de computador, que adotou este nome e tem como princípio o desenvolvimento do sistema em código aberto, como um software livre, que se baseia na entreajuda dos colaboradores, desenvolvido comunitariamente e partilhado com qualquer pessoa.
É uma filosofia, para ser partilhada indiscriminadamente, que no mundo da tecnologia não encontra resistência, mas que no mundo dos homens (as mulheres estão inclusas aqui sim) não prolifera.
Como está difícil ser humano hoje em dia. E chato.
Como torcedores de time de futebol, os contrários politicamente marcam encontros, se agridem verbal e fisicamente, em nome de pessoas que jogam com a nossa vida e se beneficiam de todas as formas através do salvo-conduto dado pelo nosso voto.
Diferente dos que se enfrentam nos gramados do esporte, estes jogadores viciados em levar vantagem em tudo instigam conflitos de classes para surgirem como salvadores da pátria. E nós, os bobos da corte, saímos em defesa de seres que não merecem nem defesa, nem respeito.
Este é um momento de reflexão e, seja qual for o desfecho deste embate travado com a anuência do Superior Tribunal Federal, do Congresso e Senado Nacional, de reconciliação: Ubuntu.
Amanhã deverá ser o dia não de partidos vencedores, mas de um país que ganhou nova chance de vencer. Quem ganhar hoje deve demonstrar saber ganhar e quem perder deve saber perder. Sem soberba nem vingança.
Sem perdão e união não existe futuro. Que começa hoje.

Anúncios