12821996_10205831930626547_148508121_nUm domingo 13 pode ajudar a transformar um país que há anos vive em uma sexta-feira 13.
E os manifestantes que estão hoje saindo às ruas, do Oiapoque ao Chui, o fazem por um Golpe.
Não, não aquele tal golpe contra a democracia, contra a legitimidade dos votos depositados nas urnas em 2014. Afinal, se o movimento “Fora Collor” era legítimo porque se apoiava no clamor popular, e nas provas fundamentadas legalmente de corrupção envolvendo o tesoureiro da campanha presidencial, o Esquema PC Farias, o de hoje, “Fora Dilma”, possui ainda mais evidencias de irregularidades fiscais e desvios de verba para o partido e campanha. A recente delação da Andrade Gutierrez parece que entrega todo esquema das propinas. E claro, se todo esse trâmite ilegal não ficar devidamente provado pelos tribunais de justiça, a vontade das urnas deve ser preservada.
Não, não um golpe como o que levou os militares ao poder, não, nunca mais.
Precisamos de um Golpe de Sorte. A sorte que parece ter abandonado este país e que a gente espera que volte a dar o ar da graça.
A sorte de, por exemplo, por força do acaso, terem descoberto desvios ou desaparecimento de bens dos palácios do Planalto e da Alvorada, que foram guardados em um cofre da Agência Líbero Badaró do Banco do Brasil, em São Paulo, desde dezembro de 2011. Como se sabe, regalos ganhos no exercício do mandato, acima de R$ 100,00, fazem parte do acervo do Planalto e não do presidente em exercício. Mas isso é bobagem, o que está em jogo vai muito além, apesar de sinalizar um certo desvio de conduta pessoal.
O mais importante é ter sorte. Na vida, no trabalho, porque não nas investigações?
Não é todo mundo que tem a sorte de ter amigos generosos, que permitem o uso de apartamentos, sítios, fazem reformas milionárias, só para ver o amigo, esposa, filhos, netos, usufruírem de um final de semana em grande estilo.
Quem de vocês conhecem um amigo sortudo, que recebe doações e pagamentos no valor de R$ 30 milhões? Eu não conheço.
Sorte é tudo! Na Mega Sena, no Brasileirão, no amor. Na política então, nem se fala.
Os manifestantes de hoje, marcharam pela sorte grande.
A sorte das máscaras caírem. A sorte de abrirem o bico. A sorte desses bandidos, que se acham onipotentes, deixarem rastros suficientes para as suas condenações.
Nós já demos a sorte de termos um Sergio Moro analisando a sorte de encontrar as evidências e poder, através apenas do que determina a Constituição, punir a quadrilha que tomou posse dessa terra que é explorada, lubridiada, sangrada, drenada, iludida, desde do primeiro navio português que aportou na nossa costa. E todos nós carregamos nas costas o ônus de todas as falcatruas que são habilmente reinventadas e executadas aos nossos olhos, sem mais nenhum pudor ou vergonha.
Nosso Congresso de 594 deputados e senadores possui 99 deles com processos à espera de julgamento no Superior Tribunal Federal. E que envolve os principais partidos políticos.
Já passou da hora de um basta! Já passou da hora da sorte estar a nosso favor.
E a hora é esta! Com o povo democraticamente, ordeiramente, clamando pelo seu direito de protestar, sem levantar nenhuma bandeira de partido político, mas apenas o Verde, Amarelo, Azul e Branco do NOSSO País.
Não sei como deixamos chegar neste ponto, mas já deu! Sorte pra nós.

Anúncios