Campi GPSJony estava ainda de ressaca de toda tensão, esperas, aflições das últimas semanas. Foi dormir tarde, de cabeça quente, ficou acompanhando as notícias online, pela TV, até ficar tonto de sono.
O dia havia amanhecido da mesma forma como tem acontecido desde que se percebeu estar vivo e será assim até não mais estar, no fim, a sua sobrevivência dependia apenas dele, ele estava cansado de saber disso.
A diferença, nessa nova manhã, era o cliente que ele visitaria pela primeira vez e que tinha sua base em um lugar da cidade que ele nunca havia estado, precisava de ajuda para chegar lá. Preparou com os dados o seu Global Positioning System e aquela voz já amiga de outras andanças por esse mundão deu o ar da graça.
– A trezentos metros, vire a direita.
Bom quando existe alguém que te indica o caminho, não?
Em certos momentos da vida, quando as coisas se complicam e a gente procura abrir uma frente nova, mudanças de rumo, seria muito bom ter um GPS que nos mostrasse para onde seguir. Vai por ali, mantenha à direita, foco na meta, volte a trás, repense, você se enganou na sua avaliação, ou, ela é falsa, não feche esse negócio agora.
Simples, não? Garantido e totalmente sem graça. Porque viver é exatamente precisar dar o próximo passo sem a menor garantia.
Muitas vezes, tentamos entender tudo em nossa volta com a boba pretensão de nos prepararmos para o que vem pela frente, e assim, não sofrer, ou sofrer menos. E quando os imprevistos nos atingem sem cerimônia, percebemos que a vida não é para ser entendida, apenas vivida. E que ela só vale a pena quando torcemos para que a vida não acabe. Mas quantas vezes você se lembra de ter vivido essa torcida? E quanto tempo esse sentimento durou?
Ir daqui para ali com a ajuda de um GPS é prático, muitas vezes essencial e cada vez mais imprescindível depois que a gente se acostuma a outorgar a tarefa para quem sabe mais do que a gente.
Saber o que fazer, como agir, para que lado correr, na vida, já não dá para incumbir ninguém da missão, é com a gente mesmo. E não importa muito se viramos na curva errada, se abrimos a porta que não vai dar em lugar nenhum, se perdemos tempo ao pegarmos a direção contrária, errar faz parte do aprendizado para acertar.
Algumas vezes, basta um gole do vinho para sabermos se a garrafa toda vale a pena. Mas tem dias que o nosso paladar está viciado e só vamos perceber o azedo depois de bebermos quase toda garrafa. Acontece.
Algumas vezes insistimos em um projeto que não tem futuro, numa relação onde damos mais do que recebemos, confiamos em quem não mereceria nossa confiança.
Mas ao tentarmos achar outro rumo, certamente iremos encarar o caminho mais maduros e fortalecidos. Como a placa que colocamos na troca de gerência: sob nova direção. De quem age, para onde vai.
Jony chegou ao endereço sem cometer um erro sequer e agradeceu ao GPS.
O cliente teve um imprevisto de última hora e precisou sair, ficou de marcar uma nova data para eles se encontrarem durante a semana.
Faz parte.

Anúncios