CampiNamoradaDia dos namorados chegando e Fabio não sabia o que dar de presente para a namorada. Pensava, pensava, olhava as ofertas que pulavam feito cabrito nas telas dos sites que visitava, e nada. Queria algo diferente, queria surpreender, mas não conseguia achar o que queria.
A noite estava linda, sem nuvens, lua nova, meio friozinho, Fabio saiu na varanda admirando o céu. Foi quando uma estrela cadente cruzou sua visão. A primeira reação foi de admiração, seguida pela aflição de fazer um pedido, rápido, antes que a magia se desfizesse.
– Um pedido, um pedido, rápido…. hummm, que eu encontre o presente certo para uma mulher que é de outro planeta.
Ao se dar conta do que falara, sorriu, deu meia volta e entrou novamente na sala, ainda pensando no que havia pedido. – Hehe… mulher de outro planeta, é mesmo, ela é muito especial, não é daqui, não… Enquanto se dirigia para ligar a TV, pensava o que uma mulher de outro planeta gostaria de ganhar, que tipo de namorada ela seria, mais baixa, cabeçuda, com três peitos, parecia interessante. Não chegou a pegar o controle da TV, um toque no vidro da varanda o fez assustar, perder o equilíbrio e cair batendo a cabeça na mesa.
Refeito do tombo, Fabio olhou, ainda do chão, para a porta e o que viu o fez querer permanecer deitado, tentou se esconder embaixo da mesa de centro, mas ela era muito baixa, não deu. Com o coração na boca, olhou tremendo por sobre o tampo de madeira, e como temia, aquela coisa continuava lá, acenando para ele.
Fabio não acreditava no que estava vendo, um ser alto, olhos grandes amendoados, testa larga, e o que pareciam ser três seios!! – Meu Deus, o que é isso, será possível, três peitões!!!!
O sorriso era amistoso, e ele aos poucos foi tomando coragem, levantando e se aproximando da porta de vidro. Ao chegar bem perto a porta correu para o lado, sem que ele tocasse, o que fez com que desse um salto para trás. O ser sorriu meigo.
– Você está muito assustado para quem fez o desejo para uma estrela cadente!
– Desejo? Estrela? Você???
Fabio parecia um dos três patetas, falava sem conseguir disfarçar seu olhar para aqueles três fartos seios.
– Hummm… gostou?? Quer pegar para ver como é??
Ele balançou a cabeça de forma afirmativa, como um robô, sem piscar, encarando de vez aquelas maravilhas. Ato contínuo, esticou a mão e pegou no que estava à sua direita. A sensação que sentiu foi arrebatadora, sublime, atordoante, a ponto da sua mão pular para o seio do centro. O novo contato foi ainda mais extasiante, um clímax de prazer jamais antes experimentado por ele. Seu corpo tremeu, levitou e ele perdeu o chão. Quando abriu novamente os olhos, estava ao lado da mesa de centro, deitado, ainda sentindo aquele prazer delirante.
Fabio levantou a cabeça e olhou para a porta de vidro aberta, não havia ninguém. Olhou para a TV, para o controle, a mesa, sentiu uma dor na parte de trás da cabeça. Tudo levava a crer que tinha caído e surtado. A não ser pela presença de um broche de metal com uma pedra brilhante ao centro, sobre a mesa.
Fabio pegou o broche e saiu na varanda olhando para o céu sem entender. Estrela cadente? Desejo?
Cuidado com os seus desejos para o dia dos namorados.

Anúncios