EleCampiPascoas se conheciam há muito tempo, muito mesmo.
João e Maria haviam feito a faculdade juntos, depois ficaram anos sem se ver, casaram, separaram, casaram, separaram e muitos anos depois se reencontraram, com Maria casada com Jofre. Odete namorava um cliente de Jofre, casou, separou, namorou, namorou, casou e ficou viúva. E ficaram só os quatro, João, Maria, Jofre e Odete, amigos que nunca se separaram.. Engraçado isso, marido e esposa casam e se separam. Amigos se juntam e não se separam mais. Melhor ser amigo.
Estavam agora os quatro programando o que iriam fazer na Páscoa, claro que a idéia era passar juntos, onde quer que fosse. No fim resolveram que iriam para a casa de praia de Jofre e Maria.
A viagem começou agitada desde a primeira parada no posto, para o primeiro xixi. Não tinha jeito, duas mulheres já sinaliza que vai haver parada, quatro nesta idade, com vontades em horas diferentes, não tem jeito, é mais de uma parada na certa!
– Jofre, você não vai fazer xixi?
– Não, agora não estou com vontade.
– Vai Jofre, se não nós vamos ter que parar de novo.
– Maria, já disse que não, não quero. Dá trabalho, desenrolar aquela mangueira toda, depois enrolar de novo, agora não.
– Até parece!!! Ainda se usasse toda hora. Então vamos… Todos no carro?
– Todos, respondeu Odete.
A contagem e checagem dos presentes era a primeira regra do passeio, por uma questão de genética. Explicando, o pai de Jofre era um tanto quanto distraído, e ele quando menino fora esquecido por diversas vezes pelo pai onde fosse. Pescaria, parada em posto, escola, estádio de futebol, bastava Jofre olhar para o lado, e pronto, lá ia o pai embora. Claro que sempre voltava, o máximo que ele teve que esperar foram umas cinco horas em uma viagem para Campos, nada dramático.
– Gente, comprei os ovos, nós vamos fazer aquela brincadeira de esconder para o outro achar, não vejo a hora!!!
– Que ovos Maria??
– De Páscoa, Jofre, vamos esconder lá na casa, mas só vale fora, jardim, piscina, gazebo, dentro de casa não que fica difícil.
– Que Páscoa?
– Páscoa Jofre, nós estamos indo comemorar a Páscoa na praia, vamos brincar de esconder os ovos amanhã!! Na nossa idade, a gente tem que renascer a cada dia, viva a Páscoa, Jofre!!
Manhã de domingo, Maria deu os ovos para João e Jofre esconderem, Odete e ela já haviam escondido os seus. O primeiro a sair da casa foi Jofre, depois João, enquanto isso, Maria e Odete preparavam o café da manhã.
João voltou sorridente, com ar matreiro: – Vocês nunca vão achar!!
Dez minutos depois chega Jofre, com um pedaço de chocolate na mão.
– Jofre!! Você comeu o ovo!!??
– Ué, não era para comer? Maria, ovo de Páscoa a gente come!! Humm… delícia!
– Eu já devia saber, tudo bem, pra você não tem mais!! Vamos nós.
E saíram os quatro procurando. Durou a manhã toda e talvez eles tivessem mesmo achado se não fosse a chegada do rapaz que limpava a piscina, o vaso que havia caído com a ventania da noite anterior, a telha de vidro que quebrou no gazebo. Cada um acabou se ocupando de um serviço, até que o estomago de todos alertaram Jofre que era hora dele preparar a moqueca de lula.
Os ovos de Páscoa? Pelo jeito não foram achados, talvez porque eles não se lembrassem mais que tinham que procurar, ou mesmo o lugar onde esconderam.
O intrigante mesmo era o sorriso de Maria quando alguém perguntou “o que temos de sobremesa?”
Foi ela e seu sorriso quem puxou o brinde com vinho branco: Feliz Páscoa! Feliz Renascer!

Anúncios