E se ao invés de dobrar a direita, você tivesse seguido em frente, talvez fosse diferente, talvez não mudasse nada.
E se os seus filhos não mudassem de escola, não teriam tido os mesmos colegas, você não conheceria a mãe deles.
Quando um E se cruza o nosso caminho, tudo poderia ser diferente, graças à sua liberdade de escolha entre as mais variadas possibilidades de alternativas no momento.
Quando a gente se dá conta disso, começa a ficar mais atento e muitas vezes passa a sentir mais a pressão, a responsabilidade da escolha, e aí, escolher passa a ficar mais difícil.
Salmão ou picanha? Se tivesse escolhido massa, talvez não teria tido a indigestão que teve e que o impediu de ir trabalhar na parte da tarde, justamente quando o cliente esteve no escritório e aquela venda que seria sua passou para um colega. Depois do leite derramado, a gente fica focando nas opções que poderiam ser sem nunca terem sido e lá vai mais um tanto de tempo jogado fora em lamentações do E se.
Quando pensei em escrever um livro, me deparei frente a muitos E se, na estrutura, nos personagens, na forma. E por diversas vezes experimentei o E se assim, E se assado, porque nesse tipo de situação, é possível escolher, voltar a trás e tornar a escolher, até que vira E fim. Que depois pode virar E se alguma coisa.
Por outro lado, se em algumas das situações de dúvida por qual opção escolher, eu tivesse parado e empacado, com medo de decidir, provavelmente hoje não existiria livro.
Nessas horas, uma frase que ouvi há muito tempo e que se tornou meu lema é ativada e ecoa sempre em mim: jogue o seu coração, que o corpo salta junto.
Seguir esse seu amigo do peito vai ser sempre a melhor alternativa, independente do que aconteça depois.
E depois, se algum E se vier te perturbar querendo sinalizar uma opção melhor que poderia ter sido feita, não vai ter efeito, você vai saber que seguiu quem confia, não importa o resultado, importa a iniciativa, sempre.
A gente sabe muito pouco para querer entender tudo, avaliar de forma conclusiva como se a vida fosse uma ciência exata, com todas as respostas.
E se não for como você queria, E se alguém não gostar, E se o mundo for acabar, E se vai ter que recomeçar, E se a jurupoca piar, E se fosse outro em seu lugar, E se não tiver comida no jantar, E se o seu amor não mais voltar, melhor não perguntar, melhor nem pensar, melhor deixar o coração te guiar, e tudo vai se achar, acomodar, virar e ser, sem E se.

Anúncios