Certo dia o Criador resolver promover um encontro entre três respeitáveis senhores que fazem parte da vida de todos nós, o Sr. Passado, o Sr. Presente e o Sr. Futuro. Dizem que é apenas em nosso plano que eles não se encontram ou até mesmo que existem, o que já é por si uma coisa confusa.
Aliás, a confusão começou no momento de marcar onde seria esse encontro já que o Sr. Futuro prontamente disponibilizou seu salão de festas idealizado com todos os requintes de decoração e arquitetura para abrigar um evento inédito. O problema é que a data era sempre postergada, nada dela chegar. Quando o Sr. Passado sugeriu que o local fosse no seu sítio, os outros dois não concordaram, parecia que o assunto já era velho, ultrapassado. O Sr. Futuro até soltou uma piadinha dizendo que se lá fosse o ideal seria escolher um museu ou asilo, o que deixou o Sr. Passado chateado, afinal, ele não aguenta mais ouvir este tipo de gracejo preconceituoso.
Até que o Sr. Presente se decidiu em receber o encontro, o que, pelas circunstâncias, foi imediatamente aprovado pelos outros dois.
O Sr. Presente sempre foi absolutamente prático, objetivo, determinou a hora, um café da manhã; o cardápio, sucos, frutas, cereais e qual seria a pauta. Neste momento aconteceu o que já se esperava. O Sr. Passado queria abordar com ênfase maior o que já havia sido feito, o processo de desenvolvimento cultural, espiritual, social da humanidade. Por sua vez o Sr. Futuro tinha em mente apresentar os seus planos de aprimoramento, sua concepção de elaboração de metas e os mecanismos para que elas fossem alcançadas. Tudo de forma detalhada, pensada, com precisos gráficos de projeção a médio e longo prazo.
Já o Sr. Presente não se manifestava, focado no material que trouxe para ilustrar sua participação no encontro, mal conseguia olhar para o Sr. Passado, nem para o Sr. Futuro, parecia inseguro. O impasse já se prolongava há um tempo e parecia que não iria ter fim, na medida em que cada lado defendia o seu ponto de vista, foi quando o Criador chegou.
Sorrindo, como quem se diverte com a situação, Ele num primeiro momento apenas encarou, olho no olho, um por um, cada senhor presente no encontro. Seu olhar era de quem contemplava com admiração, respeito, satisfação.
Pegos de surpresa pela chegada de quem os criou, os três se deixaram abraçar por aquele olhar amoroso, transbordante de compreensão e afeto. Quanto isso durou? Não se sabe, naquele momento, o tempo deixou de existir.
O Sr. Passado se sentiu satisfeito, reconhecido pelos serviços prestados, não parecia mais tentar demonstrar a sua importância, o valor do que já fez, do que já foi, na hora percebeu o seu papel e se sentiu verdadeiramente feliz com sua participação e com o patrimônio deixado.
O Sr. Presente nitidamente se encheu de coragem e segurança. Enquanto o Criador agora trocava olhares com o Sr. Futuro, ele demonstrava felicidade e confiança ao olhar ternamente para o Sr. Passado. Seus olhos brilharam ao voltar a encarar o Sr. Futuro sem nenhum medo.
Finalmente, o Criador se retirou, sem dizer uma só palavra. O Sr. Futuro estava em êxtase, preenchido de prazer e orgulho, com a convicção divina de que o que tiver que ser, será.
Pela primeira vez, os três se abraçaram, e por um momento, não importa quanto, não deu para reconhecer, quem era um, quem era outro.

Anúncios